Ordo Fratrum Minorum Capuccinorum

Log in
updated 6:22 AM CEST, Aug 6, 2020

Advento mariano

Entrevista com Fr. Raniero Cantalamessa

Não se pode “voar sem asas”. Parafraseando Dante Alighieri, Fr. Raniero Cantalamessa, nesta entrevista ao “L’Osservatore Romano”, explica o “Viram o menino com Maria, sua mãe (Mt 2,11)”, escolhido para as três pregações que, a partir de 6 de dezembro, pronunciará nas sextas-feiras de Advento no Vaticano, na Capela Redemptoris Mater, na presença do Papa.

Por que a escolha de dedicar as pregações à Mãe de Deus?

Desde o tempo de São João Paulo II, precisamente após a sua Encíclica Redemptoris Mater, eu não dedicava à Mãe de Deus um ciclo de pregações. Pareceu-me ter chegado o momento de pôr novamente Maria no centro dos nossos momentos de reflexão na capela que outrora se chamava Capela Matilde e agora, justamente após aquela Encíclica, chama-se Redemptoris Mater. Mas há também outros motivos mais profundos. O clima ecumênico em que vivemos e que motiva tantas iniciativas de Francisco, permite-nos fazer da Mãe de Deus um fator de unidade e não mais de divisão entre os cristãos das diversas denominações. Em minhas pregações, esforço-me em evidenciar aquele núcleo essencial do culto de Maria que une todos os fiéis em Cristo. Tal núcleo consiste em falar de Maria a partir da Escritura e do dogma do Concílio de Éfeso de 431, que a proclamou “Mãe de Deus” (Theotokos). Neste título, estão contidas toda a grandeza de Maria e a razão do seu culto. Na Redemptoris Mater, São João Paulo II insiste particularmente no título de Maria como “a primeira fiel”, aquela que “caminhou na fé” e agora é “nossa Mãe na fé”. Um modo de falar de Maria que os irmãos protestantes não podem não sentir de acordo com sua espiritualidade.

Como podemos cumprir um percurso de vida acompanhados por Maria?

A liturgia de Advento nos prepara ao Natal através de três figuras, Isaías, João Batista e Maria; o profeta que, distante, anunciou o nascimento do Emanuel, o precursor que o indicou ao mundo como o Cordeiro de Deus e a Mãe que o trouxe no ventre. Maria é a única que não celebrou o Advento, mas o viveu na sua carne. Como toda mulher grávida — e ela, de modo único na história —, sabe o que significa estar “à espera”. O seu olhar era mais voltado para dentro de si do que fora, e nisto está o ícone vivo de uma Igreja contemplativa. No barulho do consumismo desenfreado que caracteriza este tempo, Maria recorda silenciosamente ao mundo que não há Natal sem Jesus, que o Natal que o ocidente secularizado se presta a celebrar é uma festa sem o festejado, e, por isso, uma festa triste. Os rostos das pessoas no dia após o Natal são a prova viva de que não são as coisas que podem fazer a felicidade do ser humano. Com Jesus, até os menores presentes acrescentam alegria; sem ele, as coisas criadas são “cisternas rachadas que não contêm água”, diria o profeta Jeremias.

Qual foi o papel de Maria no nascimento da Igreja?

Acolhendo uma tradição ininterrupta, particularmente viva na Igreja latina, Maria é proclamada pelo Vaticano II “figura da Igreja”. Os Padres ensinaram que o que se diz de Maria vale universalmente para a Igreja e, singularmente, para a alma. Outras imagens com que se exprime esta íntima relação são Maria “primeira célula da Igreja” ou “a Igreja em seu estado nascente”, e ainda, “espelho da Igreja”.

O Advento é um tempo mariano?

No centro do Advento, como de cada tempo do ano litúrgico, está Cristo, enquanto mediador entre Deus e o homem. O Advento é um tempo cristológico e trinitário, mas é também mariológico, no sentido de que o mistério da Encarnação, que está no centro deste tempo, realizou-se nela. Também a Palavra de Deus que nos acompanha no tempo do Advento e do Natal a vê quase sempre protagonista. Maria, dizia São Bernardo, é “a porta através da qual Deus entrou no mundo e, agora, é a porta através da qual nós podemos entrar em Deus”. Quem deseja uma graça e não recorre a ela — diz o nosso Dante Alighieri — é um iludido que “quer voar sem asas”.

por Nicola Gori

Fonte – L’Osservatore Romano, 5 de dezembro de 2019

http://www.osservatoreromano.va/it/news/avvento-mariano

Baixar as pregações do Advento de 2019 de Fr. Raniero Cantalamessa, OFMCap

Italiano Inglese Portoghese Francese Spagnolo

Avvento mariano

Última modificação em Terça, 07 Janeiro 2020 16:24