Ordo Fratrum Minorum Capuccinorum

Log in
updated 2:01 PM CEST, May 28, 2020

Audiência do Papa Francisco com os participantes do Capítulo

Mensagem do Ministro Geral frei Roberto Genuin ao papa Francisco

Santo Padre,

Nós os Frades Capuchinhos reunidos no 85° Capítulo Geral, somos profundamente reconhecidos pela oportunidade de encontrar-vos, a nós benevolamente concedida. Dizemos o nosso fraterno obrigado e desejamos renovar em Suas mãos, no sentido e com as palavras de São Francisco de Assis, a profissão de “obediência e reverência ao Senhor Papa” (Rnb,1).

Todos os frades da Ordem, aqui representados pelos frades Capitulares, exprimem a proximidade cordial à Vossa pessoa e, como sempre pedis, nos vos recomendamos ao Senhor na oração quotidiana, para que Ele vos ampare e vos conforte no vosso ministério apostólico, sobretudo quando as contrariedades se tornam mais fortes.

“Vinde, aprendei de mim… e encontrareis conforto” (Mt 11,29), foram as palavras de Cristo que guiaram os irmãos Capitulares nestes dias de fraternidade e de reflexão. Estimulados pelo desejo de ser sempre mais seus verdadeiros discípulos em nosso tempo, estudamos e nos confrontamos, em particular, com o tema da Ratio Formationis para toda a Ordem. O texto, longamente preparado, com a colaboração das diversas expressões da Ordem no mundo, nos viu inequivocavelmente unidos e concordes, quanto aos valores que qualificam a nossa identidade e o nosso carisma, e que podemos sinteticamente resumir nos termos: fraternidade e minoridade.

Santo Padre, a Ordem dos Capuchinhos aproxima-se da celebração de seus 500 anos, quando em 03 de julho de 1528, o Papa Clemente VII autorizou alguns frades a viverem sine glossa a Regra e o Testamento de São Francisco de Assis. Quinhentos anos assinalados por um grande número de frades, santos canonizados e festejados, bemaventurados indicados pela Igreja e beatos guardados no segredo do coração das fraternidades capuchinhas, todos intensamente atraídos e enamorados do olhar do Crucifixo, que é o mesmo olhar do Amor de Deus pela humanidade.

Seduzidos por Ele, dedicaram a sua vida a uma caridade operosa, ao acolhimento e à proximidade com todos, em um contínuo sair de si mesmos para restituir o dom recebido. É por isto que os Frades Capuchinhos, são desde sempre, apontados como os Frades do povo, não só fechados em uma relação pessoal preciosa e fecunda com Cristo, mas capazes de restituir com simplicidade e generosidade o que receberam; saindo ao encontro do homem de toda condição e nação, comunicaram aos homens e às mulheres que encontravam, que o Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo é verdadeiramente uma boa notícia, e o seu acolhimento traz paz e alegria.

Como vós mesmo, Santo Padre, recordastes: “A alegria do Evangelho enche o coração e a vida inteira daqueles que se encontram com Jesus. Com Jesus Cristo, sempre nasce e renasce a alegria” (Evangelii Gaudium, 1).

Por isto, nós Frades Capuchinhos hoje somos novamente estimulados a pôr nossa fraternidade internacional, e, nós mesmos, a serviço da Igreja e do Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo. Somos de novo impelidos a sair de encontro ao mondo, entre os que O esqueceram e O rejeitam e entre os que ainda não O conheceram, para que a alegria do Evangelho possa atingir a todos.

Amatíssimo Padre, nós vos agradecemos de coração pela Vossa proximidade fraterna,  pela Vossa coragem evangélica e, de modo especial, pelo estímulo em renovar a nossa vida religiosa e o carisma que recebemos, pondo-o ao serviço da Igreja e da missão no mundo. Nós confirmamos a Vossa Santidade a nossa grande estima e a nossa constante oração, a fim de que o Espírito vos fortaleça e reforce a chama que, através de Vossa santidade, está se acendendo na Igreja e particularmente na Vida Consagrada.

Santo Padre, estamos ansiosos por escutar a Vossa palavra que nos guie e nos confirme na vontade de perseverar no propositum vitae, que o Senhor inspirou a Frei Francisco e que «o senhor Papa confirmou» (Testamento 14) com a sua autoridade apostólica.

E antes de retomar o caminho, eu peço a Vossa paternal bênção, para mim no início de meu serviço de Ministro Geral, e para todos os Frades Capuchinhos, dispersos em 110 países do mondo, a fim de que cada um, confirmado no seu propósito, viva a pobreza na alegria, a castidade na fidelidade, a obediência com alegria, disponibilidade para deixar-se atingir por Cristo, nossa alegria e nossa esperança.

Frei Roberto Genuin, ofmcap.
Ministro Geral

Roma, 14 de setembro de 2018
Festa da Exaltação da Santa Cruz

 

Video

 

Audiência aos Participantes ao Capítulo Geral
da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos

14.09.2018

Às 12.50, na Sala Clementina do Palácio Apostólico, o Santo Padre Francisco recebeu em Audiência os Participantes do 85° Capítulo Geral da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos, em curso a Roma, no Colégio Internacional “São Lourenço de Brindes”, de 27 de agosto ao 16 de setembro de 2018.

Caros Frades Menores Capuchinhos!

Estou contente com este encontro, que me permite de saudar-vos pessoalmente por ocasião de vosso Capítulo Geral. Agradeço ao novo Ministro Geral, Frei Roberto Genuin, formulando augúrios de bom trabalho, a ele e ao seu Conselho. Nestes dias de estudo e de enconto fraterno, vossa atenção concentrou-se sobre o tema: «Aprendei de mim… e encontrareis» (cfr Mt 11,29), para identificar perspectivas apostólicas e formativas para os vossos confrades em todo o mundo. Além da eleição do novo Governo da vossa Ordem, dedicastes muito tempo à Ratio Formationis Ordinis, documento importante para conduzir a pessoa consagrada no centro do Evangelho, que é a forma de vida de Jesus dedicada totalmente a Deus e aos irmãos, especialmente os últimos e os marginalizados.

Seguindo os passos do Divino Mestre a exemplo de São Francisco de Assis, que encontrando os leprosos aprendeu a humildade e o serviço, esforçai-vos para viver as relações e a atividade religiosa na gratuidade, na humildade e na mansidão. Assim podereis realizar com gestos concretos e cotidianos a “minoridade” que caracteriza os seguidores de São Francisco. Este é dom precioso e de grande necessidade para a Igreja e para a humanidade hodierna. Assim age o Senhor: faz as coisas simplesmente. A humildade e a simplicidade são o estilo de Deus; e é este estilo que todos nós cristãos somos chamados a assumir em nossa vida em nossa missão. A verdadeira grandeza é a de fazer-se pequeno e servidor.

Com a minoridade no coração e no estilo de vida, dais a vossa contribuição ao grande empenho da Igreja pela evangelização. Vós fazeis isso, levando adiante generosamente o apostolado em contato direto com tantos povos e culturas, especialmente com tantos pobres e sofredores. Eu vos encorajo neste vosso esforço, que no Capítulo partilhastes com irmãos de todo o mundo, exortando-vos a não perder o ânimo diante das dificuldades, entre as quais, a diminuição numérica dos frades em certas regiões, mas renovando cada dia a confiança e a esperança no apoio da graça de Deus. A alegria do Evangelho, que fascinou irresistivelmente o Poverello de Assis, seja a fonte da vossa força e da vossa constância, pois tendo como referência a Palavra de Jesus tudo aparece sob uma nova luz, aquela luz do amor providente de Deus. Cada vez que voltamos à fonte para recuperar o entusiasmo original pelo Evangelho, despontam novos caminhos, novas perspectivas pastorais e métodos criativos adaptados às circunstâncias atuais.

O nosso tempo manifesta os sinais de um evidente mal-estar espiritual e moral, devido à perda das referências seguras e consoladoras da fé. Hoje as pessoas têm grande necessidade de serem acolhidas, escutadas, iluminadas pelo amor! E vós Capuchinhos tendes grande tradição na aproximação pessoal com o povo, na resolução dos problemas concretos, no colóquio espiritual e na administração do Sacramento da Reconciliação! Não deixeis de ser mestres de oração, de cultivar uma espiritualidade consistente, que comunica a todos a busca das “coisas do alto”.

Nisto, sereis mais convincentes se também as vossas comunidades e as vossas estruturas manifestarem sobriedade e parcimônia, sinais visíveis do primado de Deus e de seu Espírito pelo qual as pessoas consagradas se empenham em dar límpido testemunho. Nesta perspectiva, também a transparência e gestão profissional dos recursos econômicos é imagem de uma verdadeira família que caminha na corresponsabilidade e na solidariedade entre seus membros e com os pobres. Outro aspecto importante da vida de vossas comunidades è a unidade e a comunhão, que se realizam dedicando amplo espaço à escuta e ao diálogo para reforçar o discernimento fraterno.

 

A história da Ordem Capuchinha é rica de tantos corajosos testemunhas de Cristo e do Evangelho, muitos deles proclamados Santos e Beatos. A santidade deles confirma a fecundidade de vosso carisma e mostra os sinais da vossa identidade: a consagração total a Deus até ao martírio, quando exigido, a vida simples no meio do povo, a sensibilidade diante dos pobres, o acompanhamento espiritual como vizinhança e a humildade que permite acolher a todos. Na trilha deste vosso típico estilo de vida, possais caminhar animados pelo zelo renovado para impulsionar, com liberdade profética e sábio discernimento, em caminhos apostólicos corajosos e em fronteiras missionárias, cultivando sempre a colaboração com os Bispos e outros membros da Comunidade eclesial.

A identidade de vosso carisma enriquece a variedade cultural de vossa Família religiosa, é uma proposta atraente e muito válida para tantos jovens, que hoje neste mundo estão à busca de autenticidade e de coisas essenciais. Que a fraternidade brilhe como elemento qualificador de vossa vida consagrada, afastando de vós toda atitude elitista, estimulando a buscar sempre mais o encontro entre vós e com todos, especialmente com tantas pessoas sequiosas do amor misericordioso que somente Jesus Cristo nos pode oferecer.

O Senhor vos cumule com suas graças, e no espírito de São Francisco prossigais alegres e seguros, sempre na consciência grata da pertença fiel ao santo Povo de Deus e de servi-lo com humildade. Vos acompanhe a Benção  Apostólica, que de coração concedo a vós Irmãos Capitulares, e a toda a vossa Ordem.

E por favor, não vos esqueçais de rezar por mim.

Obrigado!

Franciscus

Vatican.va

Última modificação em Sábado, 22 Setembro 2018 08:13