Ordo Fratrum Minorum Capuccinorum

Log in
updated 10:22 PM UTC, Nov 29, 2021

Enamorem-se de Jesus!

Secretariado Geral da Formação
entrevista com

FR. RANIERO CANTALAMESSA, OFMCAP
Cardeal da Santa Igreja Romana

Transcrição da entrevista

Está conosco Fr. Raniero Cantalamessa. O Papa Francisco enfatizou a sua simplicidade capuchinha. Para quem ainda não sabe, Fr. Raniero fez estudos de patrologia, foi professor na Universidade Católica de Milão, depois deixou a universidade e se tornou Pregador da Casa Pontifícia por 41 anos. Em 28 de novembro de 2020 foi criado Cardeal. Agradecemos ao Senhor por este dom e rezamos para que possa continuar a servir à Ordem e à Igreja.

Charles Alphonse – Como nasceu sua vocação capuchinha?

R.C. – Eu tinha 12 anos. Era o ano imediatamente após o fim da Guerra Mundial. Entrei em um seminário dos Capuchinhos: na verdade, eu não tinha ainda decidido bem o que eu devia fazer na vida. Houve um retiro espiritual no colégio, três meses depois do meu ingresso, e aí, com uma extrema clareza, entendi que o Senhor me chamava a ser sacerdote franciscano-capuchinho. Com uma clareza tal que, mais tarde, com toda a minha teologia, não consegui explicar. Era claro, e eu dizia aos meus colegas que esta era a maior graça que o Senhor podia me dar depois do batismo.  Esta convicção de ser chamado, felizmente, por um dom de Deus, jamais me abandonou na vida. Considero isso realmente um grande privilégio.

Qual foi o momento mais bonito em seu percurso formativo?

Mais do que um momento específico, eu diria um tempo. Assim, em todo este tempo da minha vida, diria que o ano de noviciado foi um ano especial. No meu tempo, o noviciado entre os capuchinhos acontecia de formas que hoje assustariam os jovens. Levantávamo-nos todas as noites, tínhamos que estar sempre de olhar baixo. Comecei em Camerino, que é o primeiro convento da Ordem dos Capuchinhos, onde se mantinha exatamente a tradição e o modo de viver dos primeiros Capuchinhos. Não podíamos falar entre nós, fazia-se a flagelação três vezes na semana. Enfim, porém, apesar desta austeridade, foi o ano mais bonito. Vê-se que a felicidade não depende do que fazemos, mas depende da união que temos com o Senhor. Eu convidaria os jovens em formação, sobretudo aqueles que se encontram antes do noviciado, a olhar ao noviciado, não como a uma prova assim tremenda, mas como uma ocasião para se aprofundar em si mesmos e na relação com Deus.

Qual mensagem quer deixar para encorajar os nossos jovens frades em formação? Nós temos mais de 2000 jovens frades em formação.

Esta é a pergunta que frequentemente me fazem também nos seminários pelo mundo. Alguém a elabora assim: o que devemos fazer para sermos também nós, amanhã, anunciadores do Evangelho, testemunhas de Jesus? Talvez, pensando um pouco, no fim chego quase sempre a esta conclusão: Enamorem-se de Jesus! Façam de Jesus o centro de sua vida, digamos a “Estrela Polar”, a linha de chegada, o centro gravitacional – chamem como quiser. Uma relação pessoal com Jesus é o que sustenta tudo! Porque todo o resto, a formação, seja fraterna, seja teológica, tudo isso deve ser um instrumento a serviço. Mas não se pode viver por uma causa. Deve-se viver por uma Pessoa. Assim, a minha recomendação, meus caríssimos jovens Capuchinhos, é que com a oração, com a meditação, com a leitura da Palavra de Deus, procurem crescer em uma relação íntima com Jesus. Que Jesus não seja para vocês um personagem, mas que seja uma Pessoa! Alguém que lhes esteja próximo, alguém a quem podem se dirigir, alguém que lhes preenche a vida. E, se posso dizer-lhes humildemente, caríssimos jovens, Jesus me preencheu a vida, e espero, e estou certo de que ele quer fazer-lhes também o mesmo.

Obrigado, de coração, Fr. Raniero, pela sua disponibilidade, simplicidade e também pelo testemunho. Agora, queremos pedir uma bênção e também sua oração por todos os nossos frades em formação inicial e formação permanente. Obrigado, de coração, reze por nós.

O formador me pede para dar uma bênção à distância a todos, a todos vocês, que são jovens em formação.

Em meu brasão cardinalício, coloquei uma pomba e, embaixo, a inscrição “Veni Creator Spiritus”. Portanto, invoco sobre vocês o Espírito Santo, a unção do Espírito, porque o Espírito dá a liberdade, dá a alegria, e agora, invoco o Espírito Santo para que mande sobre vocês uma renovação do batismo. E peço-o em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

A entrevista com Fr. Raniero foi feita por Fr. Charles Alphonse, OFMCap, Secretário Geral da Formação.

Dezembro de 2020

Video - https://youtu.be/h8T8iurINPE

Última modificação em Quarta, 27 Janeiro 2021 12:49